DINOSSAUROS EM CORAÇÃO DE JESUS/MG - BRASIL

Crânio do Tapuiassaurus encontrado no município de Coração de Jesus/MG - Brasil
Uma variedade de fósseis pré-históricos revela ao mundo o potencial arqueológico de Coração de Jesus, no Norte de Minas Gerais.
Descobertos em Coração de Jesus/MG três Sítios Arqueológicos que abrigam ossadas de mais ou menos 50 animais pré-históricos.
Um dos fósseis mais antigos de que se tem notícia no mundo, com 125 milhões de anos, foi a mais recente descoberta no município. Batizado oficialmente de Tapuiassaurus macedoi, em homenagem ao historiador Ubirajara Macedo, está exposto em São Paulo no museu que é vinculado à USP.
O exemplar tem crânio completo, o que permitiu aos estudiosos apurar que o animal é muito mais antigo do que se pensava.
Estudos mostram que a formação rochosa do local tem mais de 110 milhões de anos, sendo portanto do período cretáceo Inferior.
O desafio dos pesquisadores, agora, é encontrar restos de outros animais de grande porte na região, como pterossauros e crocodilos, e de espécies menores, como cobras e lagartos.
De acordo com os estudos, quando vivo, o titanossauro pesava aproximadamente 10 toneladas e era um réptil gigante e de pescoço longo.
Somente dois outros titanossauros - um dos grupos de grandes répteis quadrúpedes que viveram no período cretáceo - têm crânio conhecidos : o Nemegtosaurus, da Mongólia, e o Rapetosaurus, de Madagascar.
Praça Lerreira Leal (centro histórico de C.de Jesus/MG)

Vale dos Dinossauros

Hoje com mais de 26 mil habitantes, o município de Coração de Jesus/MG carece de atenção e de mais políticas públicas que possam atender à população e incentivar o turismo, trazendo melhorias para o comércio, lazer e cultura, aumentando a oferta de trabalho para a comunidade. O município oferece, além das novas descobertas, inúmeras grutas que podem ser exploradas de maneira sustentável.
Mesmo sendo conhecida como "Vale dos Dinossauros", como anuncia os Jornais, o município não pode deixar ruir suas características de "Coração de Jesus", origem de uma longa história que marcou uma civilização até hoje cravada na cultura local.
Uma réplica do Dinossauro ( Tapuiassaurus macedoi), em tamanho natural seria uma ótima atração de turistas se colocada na entrada da cidade em uma nova praça a ser inaugurada, sem deixar oculta as belas grutas também merecidas.
A praça Ferreira Leal faz parte da história do município, velho centro histórico, que guarda o passado de muitos corjesuenses, ilustres ou não, mas que ajudaram a construir a famosa Coração de Jesus.
A cidade de Coração de Jesus precisa de novas edificações, áreas de lazer e prática de esportes, valorização e reconstrução dos diversos bairros existentes, feiras livres ...
(Selma Galiza)

Teorias da extinção dos dinossauros
Há 250 milhões de anos, o choque com um asteróide exterminou diversas espécies!
A queda de um asteróide afetou o clima da Terra há 250 milhões de anos e provocou a extinção de muitas espécies de animais existentes na época.
Você talvez já tenha ouvido falar que os dinossauros, que por milhares de anos reinaram sobre a Terra, foram extintos provavelmente por causa do choque de um asteróide com a Terra.
Isso aconteceu há cerca de 65 milhões de anos.
Mas você sabia que, bem antes disso, por volta de 250 milhões de anos atrás, ocorreu uma outra grande extinção que também foi provocada pela queda de um corpo celeste na Terra?
O fato aconteceu ao final do período geológico conhecido como Per
miano, e é considerado a maior extinção em massa da história de nosso planeta!
Tente imaginar a cena: um grande cometa ou asteróide, com entre seis e doze quilômetros de comprimento, choca-se com a Terra - como sugere a ilustração acima.
Mas não pense que esse corpo celeste só exterminou os bichos e plantas que estavam debaixo dele! Devido à queda do cometa ou asteróide, a atividade dos vulcões aumentou, o nível de oxigênio nos oceanos foi modificado e o clima se alterou bastante.
E foram esses eventos que provocaram a morte de muitos dos seres vivos que habitavam a Terra.
Para você ter uma idéia, saiba que 90% das espécies marinhas e 70% das e
spécies de vertebrados terrestres que existiam na época simplesmente desapareceram!
Isso tudo aconteceu em um intervalo de tempo que pode parecer longo, mas que os cientistas consideram extremamente curto: entre 8 e 100 mil anos.
Os dinossauros só passaram a existir na Terra depois dessa extinção em massa.
Já era sabido que uma grande extinção devia ter acontecido ao final do Permiano, porque os fósseis dos animais que povoaram a Terra durante esse período deixam de exisitir após a marca de 250 milhões de anos atrás.
No entanto, só agora os cientistas podem dizer que a extinção deve ter sido causa
da pela queda de um cometa ou asteróide na Terra. Mas como é possível afirmar isso?
Alguns pesquisadores encontraram em rochas sedimentares que datam do fim do período Permiano algumas moléculas complexas chamadas fulerenos.
Após analisá-las, os cientistas descobriram que havia dentro delas alguns átomos do elemento hélio que são extremamente raros na Terra.
Como esses átomos existem em abundância no espaço, eles concluíram que eles devem ter sido trazidos ao nosso planeta por um corpo celeste - no caso, um cometa ou asteróide que teria provocado a morte de tantas espécies.
As rochas que os cientistas analisaram foram encontradas em três países: Japão, China e Hungria. Mas ninguém sabe dizer onde deve ter caído o cometa ou asteróide há 250 milhões de anos, pois naquela época, só existia um enorme continente na Terra conhecido como Pangea.

Mudança de clima acabou com dinossauros antes de asteróide
OUTRA VERSÃO:
Dinossauros teriam morrido de frio, bem antes
O frio estava matando dinossauros muito antes do asteróide que muitos cientistas acreditam ter acabado com a espécie.
O asteróide que teria atingido a Terra há 65 milhões de anos, no período cretáceo, pode ter sido apenas o tiro de misericórdia. Especialistas australianos estão afirmando que quando o asteróide se chocou com o planeta, metade dos dinossauros já havia morrido porque o clima tinha esfriado demais. Eles se baseiam em exames dos isótopos de oxigênio em fósseis, que indicam a temperatura quando os fósseis foram formados, permitindo aos cientistas analisar mudanças de clima ao longo do tempo.

Esfriamento da Terra
Fósseis de dinossauros encontrados em Alberta, no Canadá, e que datam de sete milhões de anos antes da colisão do asteróide até a época da colisão, mostram que a temperatura média na região caiu de 25ºC para 15ºC.
Por causa do sangue frio, répteis como crocodilos e tartarugas, além dos dinossauros, morreram em consequência do clima mais frio.
Também houve uma queda no nível de chuvas, durante o mesmo período, mas David Eberth, do Museu Real Tyrrell de Paleontologia, que chefiou a pesquisa, diz que não está claro o porquê de os dinossauros terem sido afetados tão dramaticamente.

Temperatura do Corpo

Angela Milner, Palenteóloga do Museu de História Natural de Londres disse à BBC que "muita gente já havia sugerindo que a razão para o declínio dos dinossauros tinha sido a mudança de clima, mas este estudo consegue demonstrar categoricamente que houve uma queda drástica na temperatura".
Ela explica que os dinossauros podem ter resistido mais tempo do que outros répteis à queda da temperatura, porque o tamanho deles permitia que eles mantivessem a temperatura do corpo constante.
Mas eles não poderiam ter resistido por muito tempo.
"Na percepção popular, os dinossauros morreram porque o planeta foi atingido pelo asteróide, mas este estudo não favorece a crença", acrescenta Milner.
"Mas a colisão pode ter sido o tiro de misericórdia", afima a estudiosa.


8 comentários:

cRônicas & desvEnturas d'um adoleSc&nte disse...

muito legal quando descobrimos que nossas cidadezinhas MGs tem arsenal arqueológico muito além do que pensamos!
outro destaque para Coração de jesus!
AGORA SÓ FALTA O MUSEU PRA EXPOSIÇÃO AI MESMO.

Corjesuense disse...

O museu e a criação de uma biblioteca se Deus quiser vai se tornar realidade, pois, graças a FCJAM - Fundação Cultural Jose Alves Macedo, está empenhado em tornar isso concreto. Contamos com a parceria da USP, Que está entre as melhores universidades do Brasil. Quem quiser participar das reuniões da FCJAM serão bem vindos. As reuniõs acontece todas as terças-feiras às 19:00. Participem e divulguem!!!

CORJESUENSE disse...

FCJAM-FUNDAÇÃO CULTURAL JOSE ALVES MACEDO, LOCALIZADA NO ANTIGO GINÁSIO NA PRAÇA DA MATRIZ.

PARTICIPEM!!!

Cláudio Gurggell disse...

Gostaria de participar destas reuniões. Qual é o endereço?
Admirio muito a arqueologia.

Cláudio Gurggell disse...

Gostaria de participar destas reuniões. Qual é o endereço?
Admiro muito a arqueologia.

CORJESUENSE disse...

A FCJAM (Fundação Cultural José Alves Macedo) fica localizado na Praça da Matriz, centro de Coração de Jesus. As reunioes acontecem todas as terças-feiras às 19:00. Participem!!!

Anônimo disse...

Adorei saber que no Brasil encontraram tão antigas relínquias.Um vale dos dinossauros no coração de Jesus.Salve Minas Gerais!

Núbia Lima disse...

Nossa, muito feliz em saber que o lugar onde nasci tem esse potencial arqueológico!!!Vivo em São Paulo há muitos anos e só agora resolvi saber mais sobre o meu lugar de origem.