terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Cerrado : Vegetação original do norte de Minas Gerais

A cidade de Coração de Jesus, Estado de Minas Gerais, Brasil está presenciando a redução dos frutos do cerrado no mercado e para o consumo da comunidade.

Vista parcial do morro de Lourdes
Pequizeiro ( foto tirada no cemitério de Coração de Jesus)
A professora de geografia Selma Vasconcelos Galiza, preocupada com a devastação do cerrado, está elaborando projetos para recuperação e preservação deste bioma.


Município de Coração de Jesus-MG. BRASIL

Atualmente a cobertura vegetal original do norte de Minas Gerais, especificamente no município de Coração de Jesus, se encontra em estado de "devastação", ou seja, mais de 40% já foi destruída e substituídas pelas carvoeiras e pastagens.
Mesmo assim, ainda temos uma grande quantidade de pequizeiros e outras árvores que compõem o cerrado e fornecem frutos para a população local e regiões vizinhas.




Pequizeiro : árvore de médio porte, galhos retorcidos, revestido por uma casca grossa e folhas recobertas por uma espécie de cêra.

O CERRADO

É a segunda maior formação vegetal brasileira. Estendia-se originalmente por uma área de 2 milhões de km², abrangendo dez estados do Brasil Central. Hoje, restam apenas 20% desse total.Típico de regiões tropicais, o cerrado apresenta duas estações bem marcadas: inverno seco e verão chuvoso. Com solo de savana tropical, deficiente em nutrientes e rico em ferro e alumínio, abriga plantas de aparência seca, entre arbustos esparsos e gramíneos, e o cerradão, um tipo mais denso de vegetação, de formação florestal. A presença de três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul (Tocantins-Araguaia, São Francisco e Prata) na região favorece sua biodiversidade .

Estima-se que 10 mil espécies de vegetais, 837 de aves e 161 de mamíferos vivam ali. Essa riqueza biológica, porém, é seriamente afetada pela caça e pelo comércio ilegal. O cerrado é o sistema ambiental brasileiro que mais sofreu alteração com a ocupação humana. Atualmente, vivem ali cerca de 20 milhões de pessoas. Essa população é majoritariamente urbana e enfrenta problemas como desemprego, falta de habitação e poluição, entre outros. A atividade garimpeira, por exemplo, intensa na região, contaminou os rios de mercúrio e contribuiu para seu assoreamento. A mineração favoreceu o desgaste e a erosão dos solos. Na economia, também se destaca a agricultura mecanizada de soja, milho e algodão, que começa a se expandir principalmente a partir da década de 80. Nos últimos 30 anos, a pecuária extensiva, as monoculturas e a abertura de estradas destruíram boa parte do cerrado. Hoje, menos de 2% está protegido em parques ou reservas.

CARACTERÍSTICAS DO CERRADO

Pequenas árvores de troncos torcidos e recurvados e de folhas grossas, esparsas em meio a uma vegetação rala e rasteira, misturando-se, às vezes, com campos limpos ou matas de árvores não muito altas – esses são os Cerrados, uma extensa área de cerca de 200 milhões de hectares, equivalente, em tamanho, a toda a Europa Ocidental. A paisagem é agressiva, e por isso, durante muito tempo, foi considerada uma área perdida para a economia do país.

Entre as espécies vegetais que caracterizam o Cerrado estão o barbatimão, o pau-santo, a gabiroba, o pequizeiro, o araçá, a sucupira, o pau-terra, a catuaba e o indaiá. Debaixo dessas árvores crescem diferentes tipos de capim, como o capim-flecha, que pode atingir uma altura de 2,5m. Onde corre um rio ou córrego, encontram-se as matas ciliares, ou matas de galeria, que são densas florestas estreitas, de árvores maiores, que margeiam os cursos d’água. Nos brejos, próximos às nascentes de água, o buriti domina a paisagem e forma as veredas de buriti.

Os Cerrados apresentam relevos variados, embora predominem os amplos planaltos. Metade do Cerrado situa-se entre 300 e 600m acima do nível do mar, e apenas 5,5% atingem uma altitude acima de 900m. Em pelo menos 2/3 da região o inverno é demarcado por um período de seca que prolonga-se por cinco a seis meses. Seu solo esconde um grande manancial de água, que alimenta seus rios.

O cerrado é a segunda maior região biogeográfica do Brasil, se estende por 25% do território nacional, cerca de 200 milhões de hectares (4), englobando 12 estados. Sua área "core", ou nuclear, ocupa toda a área do Brasil central, incluindo os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, a região sul de Mato Grosso, o oeste e norte de Minas Gerais, oeste da Bahia e o Distrito Federal.

Prolongações da área "core" do cerrado, denominadas áreas marginais, estendem-se, em direção ao norte do país, alcançando a região centro-sul do Maranhão e norte do Piauí, para oeste, até Rondônia, existem ainda fragmentos desta vegetação, formando as áreas disjuntas do cerrado, que ocupam 1/5 do estado de São Paulo, e os estados de Rondônia e Amapá.

Podem ser encontradas ainda manchas de Cerrado incrustadas na região da caatinga, floresta atlântica e floresta amazônica.

Devido a sua localização, o cerrado, compartilha espécimes com a maioria dos biomas brasileiros (floresta amazônica, caatinga e floresta atlântica). devido a esse fato possui uma biodiversidade comparável a da floresta amazônica. Contudo devido ao alto grau de endemismo, cerca de 45% de suas espécies são exclusivas de algumas regiões (4), e a ocupação desordenada e destrutiva de sua área o cerrado é hoje o ecossistema brasileiro que mais sofre agressões por parte do "desenvolvimento".









Trechos com caatinga, popularmente conhecido como Macambira (C.Jesus-MG.)

"Mas logo que caem firmes e regulares as primeiras chuvas, tudo revive novamente. O penasco, o mimoso, ou outro capim, atapetam imediatamente os espaços, os arbustos como que milagrosamente se cobrem de folhas e as árvores criam novas ramagens. Em breve, as flores mais variadas enfeitam o sertão, num verdadeiro afã da natureza de esquecer a quadra mesquinha." ( BERNARDES, Nilo, "As caatingas". Revista Estudos Avançados, n.36.São Paulo: IESA-USP, maio/ago.1999.p.69 )

4 Comentários:

Às 21 de abril de 2010 07:47 , Anonymous Anônimo disse...

Amei esta reportagem!
Parabéns Professora! Eu adoro pequi.
Temos que lutar para que ele não seja arrancado de nós.

 
Às 3 de dezembro de 2011 08:02 , Anonymous maria eduarda gomes 6 ano A disse...

seima adorei ☺ ☺ ☺ ☺ tudo que vc escreveu( maria eduarda sua aluna do 6•ano A)

 
Às 3 de dezembro de 2011 08:04 , Anonymous maria eduarda gomes 6 ano A disse...

ops selma

 
Às 6 de dezembro de 2011 10:25 , Anonymous Anônimo disse...

Amei a reportagem professora!!!!!!!!!!!!
Você é demaissssssssssssss.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início